Arquivo da tag: receitas

Bolo de chocolate com cobertura de beijinho – sem lactose

Post-receita de última hora – pra fazer hoje!

Pré-aqueça o forno.

Massa:

Bata à mão

3 ovos,

1/2 xícara (de chá-toda a receita) de óleo

Acrescente
2 xícaras de açúcar cristal

1/2 xícara de cacau em pó

e bata até ficar homogêneo.

Acrescente

2 xícaras de farinha de trigo e

1 xícara de água quente

e misture bem até ficar liso e homogêneo.

Coloque

1 colher de sobremesa de fermento em pó

1 pitada de sal

e misture até incorporar.

Asse em forma untada e enfarinhada a 220° até o palito sair limpo.

Cobertura:

Derreta

1 colher de sopa de margarina

Acrescente

1 lata de leite condensado de soja

e deixe cozinhar por alguns minutos. Quando começar a soltar do fundo da panela, acrescente

coco ralado à vontade.

Cubra ou recheie (ou ambos) o bolo.

Simples assim.

Sugestão: antes de comer, aqueça a fatia por 15 segundos no microondas.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Recipes

Bolo de Maçã com Nozes e Passas

Temas light para essa época do ano: receitas! (ok, talvez não seja tão leve assim, rs).

Tivemos um excelente Natal aqui em casa, com amigos na ceia e família no almoço (visita rápida para a vovó e o vovô lá em Champs Mouris, ou Campo Mourão). Nossa ceia foi preparada a  quatro mãos: fiz os acompanhamentos e a sobremesa, e o maridão ficou por conta do assado (ainda passo a receita do Chester, que ele fez marinado em vinho branco e ervas).

Compartilho hoje um bolo do qual já falo há algum tempo no blog: o Bolo de Maçã com Nozes e Passas.

Não achei nada mais saboroso, fácil e apropriado para o Natal! Perfeito!

A receita é facílima e já a usei como base para outros sabores, como o bolo de morangos e uvas que já postei. Já fiz tantas vezes que tenho um monte de anotações mentais sobre pequenas adaptações pessoais em busca do sabor da nossa casa! Por isso, dessa vez me senti no direito de postá-la, com os devidos créditos ao Banco & Balcão, porque ela é divina e um coringa que precisa estar na cozinha de todo mundo!

Vamos lá!

Antes de mais nada, separe os ingredientes e deixe o forno aquecendo à 200ºC (seu forno é como o meu, sem essa marcação de temperatura? Coloco entre as de 220º e 180º).

Reserve 3 maçãs grandes descascadas e picadas em cubos (uso a maçã gala), de 3/4 a 1 xícara de chá de nozes picadas grosseiramente (uso as chilenas) e de 3/4 a 1 xícara de chá de uvas-passas escuras.

Faço tudo à mão. Em uma vasilha, misture bem 2 ovos grandes (ou 3, se forem pequenos) com 2 xícaras de chá de açúcar cristal (na xícara que eu uso, cabem 10 colheres de sopa de trigo).

Acrescente 2/3 de xícara de chá de óleo (uso o de girassol ou o de milho), 1 colher de chá de essência de baunilha, 1 colher de chá de canela em pó e 1 colher de chá de bicarbonato de sódio e misture novamente.

Aos poucos, coloque 2 xícaras de chá de farinha de trigo e vá mexendo até incorporar. A massa é pesada e pode dar a impressão de que precisa de um pouco de líquido. Vai por mim, não vai precisar.

Acrescente 2 colheres de chá de fermento em pó (a receita original pede 3) e misture delicadamente.

Quando estiver uniforme, coloque as maçãs, as passas e as nozes, aos poucos, e mexa. Eu coloco um punhado de farinha de trigo nas passas antes de acrescentá-las para que não desçam pro fundo. Era algo que sempre acontecia, não sei o motivo, e a dica veio de uma tia. Deu certo. A maçã solta suco e a massa vai ficando úmida. Não é uma massa líquida, mas ela fica molhada.

Despeje em uma forma untada e enfarinhada (a receita original sugere aquelas de pudim, com furo no meio.. como a minha é muito pequena, uso uma redonda média, de aro removível ou uma retangular pequena) e asse de 40 a 50 minutos a 180º (o que equivale ao forno baixo aqui em casa), ou até que o palito saia seco. Não abra antes de uns 40 minutos.

Depois que desenformar, siga a dica original e faça uma cobertura rápida: misture de 1 a 1 + 1/2 xícara de chá de açúcar de confeiteiro (vai depender da quantidade de limão e superfície a cobrir) com 4 colheres de suco de limão (ou o suco de 1 limão siciliano) até virar um creminho pastoso e despeje grosseiramente sobre o bolo. Não melinem (Melinar = mudar ingredientes das receitas e se perguntar por que não deu certo), não batam o açúcar cristal no liquidificador nem usem o refinado no lugar.. não dão ponto nem sabor.

Agora é só deixar esfriar e se deliciar. Se não resistir, experimente quente com uma bola de sorvete de creme. Você, que não tem intolerância à lactose, precisa aproveitar mais a vida!!!

2 Comentários

Arquivado em Recipes

Couscous Marroquino com link direto ao Blog Temperando

Depois de tanto tempo, hoje vim pra falar de uma coisa boa, uma coisa feliz! Não, não vim falar da iogurteira Top Therm – isso eu deixo pr’aquela moça (?) da terceira idade que fala muito esquisito com o Seu Raul (e que agora também vende Cogumelos do Sol, o que cura até cárie). Também não vim anunciar os números da Tele Sena.  Hoje é dia de receita, bebê!!!! E a mais nova receita da família Caldani Tasqueti, baseada na receita preparada pela família Zapata Corrêa de Siqueira, é o Couscous (ou Cuscuz) Marroquino com Legumes. É um prato super versátil, que pode ser servido como entrada ou acompanhamento. Com carneiro fica divino. Mas também vai muito bem com outro assado ou mesmo em uma mesa totalmente vegetariana. É leve, light, super simples de fazer e permite quantas adaptações quiser para ficar com a cara da família ;).

Quem conta como faz é a Kelly, do Temperando. Foi ela quem gentilmente publicou e apresentou oficialmente para os amigos e seguidores do blog. E é por isso que peço a licença de todos e, ao invés de publicar aqui, linko a receita diretamente de lá, para que possam conhecer tanto essa quanto as muitas outras delícias que, com tanto carinho e zelo, ela prepara e compartilha!

Espero que gostem!!!

Resultado final, acompanhado de mix de arroz com arroz selvagem e amêndoas.

Receita de Couscous Marroquino direto do Temperando! http://www.temperando.com/2011/11/448/

Deixe um comentário

Arquivado em Recipes

Se a vida te deu um microondas e uma caneca…

…faça um bolo!

Isso mesmo. Eu duvidava que essa fosse uma guloseima que desse certo fora dos blogs de culinária e afins. Mas hoje a vontade de comer um doce quente com sorvete estava grande, a preguiça para pratos demorados permanece e achei que deveria tentar .

Procura ali, procura aqui… acabei achando sorbet de uva, mas nada quente para acompanhar (infelizmente, pra quem tem intolerância à lactose, não há opções de sorvete de creme free-lac em Londrina – não que eu tenha encontrado – quando muito, achamos sorbets, que são à base de água e de frutas). Fuça mais um tanto aqui, outro tanto ali.. achei duas receitas de bolo de caneca. Uni o bolo de chocolate na caneca do @JosaJr (do blog das receitas mais *-* ever, Banco & Balcão), com a ideia do bolo de morango na caneca do M de Mulher, fiz algumas adaptações para tirar a lactose e tchanammmmmm! Bolo de chocolate de caneca com recheio de uva. Ótimo pra um dia frio de filminho, bem confortável, ou pra qualquer dia, afinal, é muito fácil.

Para a massa: direto na caneca (a nossa cabia 500ml; o @JosaJr indica ao menos 300ml)

1 ovo pequeno

3 colheres de sopa de óleo

1 1/2 colheres de sopa rasas de cacau em pó (ou 2 de chocolate em pó)

5 colheres de sopa rasas de açúcar (se fizer com chocolate em pó, pode diminuir para 4)

4 colheres de sopa de leite de soja

4 colheres de sopa rasas de farinha de trigo

1 colher de café de fermento em pó

Mistura tudo dentro da caneca mesmo e coloca no microondas por 03 minutos em potência máxima.

Gâteau au chocolat et une tasse de raisin (pra ficar gourmet)

Para o recheio: direto em outra caneca

3 colheres de sobremesa de leite de soja

2 colheres de sobremesa de açúcar (usei o demerara – por isso a cor mais carmelo)

ponta da colher de margarina sem sal

1 colher de café de farinha de trigo

Mistura tudo dentro da caneca e coloca no microondas por 01 minuto em potência máxima.

Fiz apenas um, desencanequei, parti em três e recheei com o creminho e com metades de uvas sem semente (os cremes nunca têm o mesmo aspecto quando feitos de soja, gente.. desculpem…).

Tá meio bagunçado, mas ficou tão bom e foi tão divertido que quis compartilhar a foto mesmo assim! E comemos com o sorbet, ora essa! Da próxima vez, quero fazer massa branca com morangos e suspiros… hmmmmmmmmmmmm.

 

 

 

 

3 Comentários

Arquivado em Recipes

Não é um blog culinário

Não, o Jardim não é um blog culinário mas tem janela para a cozinha! Aqui em casa gostamos de comer e de comer bem. Nem sempre dá certo, nem sempre foi assim e nem sempre isso significa comer muito.

Tenho reparado que, e agora passo a falar só por mim, meus gostos mudaram muito desde que comecei a pilotar meu fogão. Aprendi a cozinhar em casa ainda, antes de sair para estudar, o trivial, básico e alguns bolos.  Aprimorei a técnica de muuuuuuito tempero e, na república, minha comida era conhecida como ‘a salgada’! É que tudo tinha muito de tudo: muito alho, cebola, sal, curry (ia curry até no feijão), ervas.. e o bendito creme de leite! (Quem nunca acrescentou aquela caixinha mágica quando o molho estava desandando que jogue uma pedra na janela do vizinho!)

Com o tempo, menos sal, mais ervas frescas.. aí veio a intolerância à lactose e meus fiéis escudeiros creme de leite/leite/leite condensado tiveram que sair pra comprar cigarro e nunca mais voltaram.

Bom, fato é que, pra minha sorte e azar, tenho uma tia que faz doces como ninguém, uma mãe que faz lasanha como ninguém, uma vó que faz rosca e trança doce como ninguém e, pra ajudar, casei com um homem que faz risotos e carnes como ninguém, que é filho de cozinheiros como ninguém e irmão de uma moça que faz bolos como ninguém, que é casada com um moço que faz barreado e banana flambada como ninguém. Ou seja, ninguém está numa posição mais confortável e desconfortável que eu. Crise de identidade culinária. No fim das contas, o que sei fazer bem?

Foto meramente ilustrativa. Bolo de Maçã com Amêndoas - receita no Banco & Balcão (link na barra lateral)

Sou uma cozinheira de inverno, com fortes tendências naturebas. Cozinhar no verão me estressa. Quando deixei de comer carne, me aventurei pela cozinha vegetariana e foi um desastre. Voltei a comer carne, mas só 1/10 das tentativas  dão certo.

Bom, me convenci que ninguém do meu círculo faz carne de panela, feijão e farofa melhor que eu.  Quando meu arroz não queima, é muito bom. Também faço um molho de tomate convincente. E nas tentativas triviais sem nada à base de leite, to ficando boa. Ulisses cozinha muuuuuuito bem. Aos poucos, temos experimentado coisas diferentes e compatibilizado nossos gostos.

Reparei que, talvez pela intolerância e outras dificuldades de digestão, talvez porque meu paladar está melhorando, pratos além do confort food tem ganhado meu coração. Misturas de textura, pratos perfumados, contrastes e sabores mais suaves estão na minha lista. Tenho acertado mais assim, sem querer inventar muita temperança. E tenho descoberto como uma cozinha vive muito bem com a diversidade de sabores que o excesso de leite nas receitas camufla.

Mas uma coisa eu não perco: o talento para destruir tudo na hora de servir e a necessidade que nenhum prato suje mais que o tanto de louças que eu possa lavar enquanto ele fica pronto. Em geral, nada demora mais que 30 min de preparo. Passando disso, pode ter certeza que é algo que o Ulisses fez.

Feita essa introdução, que por si só é um livro, peço licença para postar – sempre que aquele décimo de vez acontecer – os pratos que tem começado a preencher o livro de receitas da família Caldani Tasqueti. Espero que curtam!

Beijo com gosto de chocolate 70% cacau (que não tem leite!)

1 comentário

Arquivado em Recipes