Não é um blog culinário

Não, o Jardim não é um blog culinário mas tem janela para a cozinha! Aqui em casa gostamos de comer e de comer bem. Nem sempre dá certo, nem sempre foi assim e nem sempre isso significa comer muito.

Tenho reparado que, e agora passo a falar só por mim, meus gostos mudaram muito desde que comecei a pilotar meu fogão. Aprendi a cozinhar em casa ainda, antes de sair para estudar, o trivial, básico e alguns bolos.  Aprimorei a técnica de muuuuuuito tempero e, na república, minha comida era conhecida como ‘a salgada’! É que tudo tinha muito de tudo: muito alho, cebola, sal, curry (ia curry até no feijão), ervas.. e o bendito creme de leite! (Quem nunca acrescentou aquela caixinha mágica quando o molho estava desandando que jogue uma pedra na janela do vizinho!)

Com o tempo, menos sal, mais ervas frescas.. aí veio a intolerância à lactose e meus fiéis escudeiros creme de leite/leite/leite condensado tiveram que sair pra comprar cigarro e nunca mais voltaram.

Bom, fato é que, pra minha sorte e azar, tenho uma tia que faz doces como ninguém, uma mãe que faz lasanha como ninguém, uma vó que faz rosca e trança doce como ninguém e, pra ajudar, casei com um homem que faz risotos e carnes como ninguém, que é filho de cozinheiros como ninguém e irmão de uma moça que faz bolos como ninguém, que é casada com um moço que faz barreado e banana flambada como ninguém. Ou seja, ninguém está numa posição mais confortável e desconfortável que eu. Crise de identidade culinária. No fim das contas, o que sei fazer bem?

Foto meramente ilustrativa. Bolo de Maçã com Amêndoas - receita no Banco & Balcão (link na barra lateral)

Sou uma cozinheira de inverno, com fortes tendências naturebas. Cozinhar no verão me estressa. Quando deixei de comer carne, me aventurei pela cozinha vegetariana e foi um desastre. Voltei a comer carne, mas só 1/10 das tentativas  dão certo.

Bom, me convenci que ninguém do meu círculo faz carne de panela, feijão e farofa melhor que eu.  Quando meu arroz não queima, é muito bom. Também faço um molho de tomate convincente. E nas tentativas triviais sem nada à base de leite, to ficando boa. Ulisses cozinha muuuuuuito bem. Aos poucos, temos experimentado coisas diferentes e compatibilizado nossos gostos.

Reparei que, talvez pela intolerância e outras dificuldades de digestão, talvez porque meu paladar está melhorando, pratos além do confort food tem ganhado meu coração. Misturas de textura, pratos perfumados, contrastes e sabores mais suaves estão na minha lista. Tenho acertado mais assim, sem querer inventar muita temperança. E tenho descoberto como uma cozinha vive muito bem com a diversidade de sabores que o excesso de leite nas receitas camufla.

Mas uma coisa eu não perco: o talento para destruir tudo na hora de servir e a necessidade que nenhum prato suje mais que o tanto de louças que eu possa lavar enquanto ele fica pronto. Em geral, nada demora mais que 30 min de preparo. Passando disso, pode ter certeza que é algo que o Ulisses fez.

Feita essa introdução, que por si só é um livro, peço licença para postar – sempre que aquele décimo de vez acontecer – os pratos que tem começado a preencher o livro de receitas da família Caldani Tasqueti. Espero que curtam!

Beijo com gosto de chocolate 70% cacau (que não tem leite!)

Anúncios

1 comentário

Arquivado em Recipes

Uma resposta para “Não é um blog culinário

  1. Manu Denora

    Voto de gorda que adora a comer bem! Apoio indiscutível à causa!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s